Translate

terça-feira, 19 de julho de 2016

10 hostels brasileiros onde você pode trabalhar em troca de hospedagem grátis

Todo mundo quer viajar, mas a grana é curta. Para a sorte de muitos, tem crescido bastante o número de ofertas em hostels baseados no chamadoWork Exchange (“intercâmbio de trabalho”, em tradução livre), que seria na troca de uma cama e refeições por algumas horas semanais de trabalho. Ou seja, dá para ter hospedagem grátis e economizar durante a sua viagem.
Sites como o Worldpackers reúnem hostels com oportunidades de trabalho baseados na moeda de troca. Como o Nômades Digitais aprova a ideia, nada melhor do que mostrar 10 alternativas ao redor do Brasil para que você agende sua próxima viagem já de olho na economia. Olha só:

1. Sítio Passarim – Mato Grosso do Sul

Em Rio Verde, o hostel cercado pela natureza fez um baita sucesso neste post. O local aceita a troca de trabalho em bioconstrução por hospedagem e alimentação. Os viajantes trabalham das 8h às 12, tendo a tarde livre para aproveitar o visual paradisíaco e se divertir nos rios.

2. Floripa Surf Hostel – Florianópolis

A 200 metros da praia do Campeche, o hostel de ar surfista tem entre suas qualidades almoço grátis seis vezes por semana, lavanderia, bike e pranchas de surfe gratuitas também. Pessoas amigáveis são bem-vindas e podem trabalhar na recepção, por exemplo.

3. Porto Backpackers – Porto de Galinhas

Próximo a bela praia de Ipojuca, o pequeno hostel tem infraestrutura simples, mas oferece o básico que todo o viajante precisa. O trabalho necessário, no geral, inclui serviços de limpeza e recepção, onde o hóspede atende ligações, ajuda nos check-ins e check outs, além de responder questões gerais dos visitantes. São quatro horas por dia, sendo uma folga por semana.

4. Purple House Hostel – São Paulo

Próximo a Av. Paulista e a duas estações de metrô, este hostel tem como objetivo fazer com que todos se sintam em casa. O trabalho de 40 horas semanais inclui três dias de folga e exige inglês intermediário. As vagas são para promotor de festas, administração, limpeza e recepção.

5. Pousada Jacarandá em Trancoso – Brasil

Localizado numa das praias mais cobiçadas do Brasil, esta pousada procura um viajante que saiba fazer reparos e trabalhe durante 4 horas por dia, com direito a dois dias de folga. Há vagas ainda para instrutor de ioga, que trabalhe por 1 hora e tenha uma folga por semana, além de recepcionista que fique disponível por 5 horas por dia, com direito a dois dias de folga.

6. Cidade Baixa Hostel – Porto Alegre

No quarteirão mais boêmio da cidade, pode ser difícil querer trabalhar, mas vai valer a pena. Comandado por uma família, o hostel precisa de ajudantes nas áreas de marketing, incluindo social media, fotógrafo, videomaker e desenvolvedor web, além dos serviços mais básicos como recepção, limpeza e alguém para o turno da noite.

7. Arawak Jungle Hostel – Amazonas

Em Iranduba, mais precisamente na praia Acutuba – que fica no Rio Negro -, este hostel no meio da floresta tropical pode ser tudo o que você precisa para relaxar. Mas antes, é preciso colocar a mão na massa. Durante cinco horas por dia e com duas folgas semanais, o viajante pode ajudar a cuidar do jardim, do cultivo, da limpeza ou da arrumação.

8. Lá em Casa Hostel – Belo Horizonte

Uma grande casa onde todos convivem bem e colaboram entre si abriga os mochileiros em BH. Fundado por um casal que trabalha com cinema, a dupla precisa de ajuda em seus projetos, portanto o trabalho envolve arte, pintura e decoração, desenvolvimento web e, para quem não se envolve em meios artísticos, há vagas na recepção. São 24 horas de trampo por semana e três folgas.

9. Guanaaní Hostel – Espírito Santo 

Na região central de Vitória, o simpático hostel numa casinha amarela preserva o design charmoso dos anos 1920. Entre as vagas de trabalho disponíveis, somados em 38 horas semanais, estão recepcionista e arrumação dos quartos. O nível dos idiomas exigidos são iniciante em inglês e/ou português.

10. Alma de Santa em Rio de Janeiro – Brasil

O hostel em Santa Teresa tem um quarto disponível para aqueles que desejam e podem trabalhar em troca de cama, comida e roupa lavada. O espaço procura viajantes que falem inglês e português para ajudar na recepção durante 5 horas diárias durante a noite, com 2 dias de folga.
Fonte:Nômades Digitais

Um comentário:

Conta Ai, Patty Levino disse...

Aí Ai que legal! Não sabia que isso era possível. 👏👏 adorei o post😘